• Casanuova Cidadania

Conheça Pescia: dicas dos clientes Casanuova

Atualizado: 19 de Jun de 2019

Na hora de se preparar para a sua vinda para a Itália, nada melhor do que receber dicas de quem já passou pela experiência, não é mesmo? Entrevistamos alguns de nossos clientes e pedimos para que nos contassem um pouco sobre a cidade onde ficaram (e que pode ser onde você ficará!)


1. Quais foram as primeiras impressões na sua chegada?


Marina: Achei que talvez fosse um pouco perigoso por causa da estética da rua. E estava um pouco perdida, pois não conhecia a cidade.


Eduardo: Fiquei aliviado que Karina e Daniel estavam no desembarque. Sobre Pescia achei pequena (o q não necessariamente é um problema). Sobre o apto achei limpo, mas poderia ser melhor equipado.


Flavia: Cidade acolhedora!


2. O que você achou/tem achado sobre o modo de vida italiano (alimentação, hábitos, etc)?


Marina: A alimentação é sensacional, e o transporte de trem é muito bom e com um preço acessível. Mas não consegui me acostumar aos horários e a falta de uso de tecnologia das empresas. Por exemplo, o site do cinema não é atualizado e só da para saber o filme que esta passando quando o cinema abre.


Eduardo: Não gostei muito dos italianos. São pouco educados e solícitos, e fumam sem se importar com quem está do lado. Não parecem gostar muito de trabalhar. Comida boa, lugares bonitos.


Flavia: Achei um povo que leva a vida de uma forma tranquila. Vivem em pequenas cidades, acolhedoras e com um ritmo de vida bem diferente do Brasil (grandes cidades). A alimentação não me pareceu tão saudável, mas tudo que provei era delicioso. Muito gelato mesmo que no inverno.


3. O que você mais gostou e o que menos gostou na cidade onde ficou?


Marina: É uma cidade tranquila com acesso fácil à estação de trem e aos ônibus, e os mercados possuem preços muito melhores que outras cidades que visitei. O Rio de Pescia é uma boa opção para piqueniques e para fazer caminhada, e a cidade é bem segura.

Eduardo: Gostei do clima familiar e natureza. Não gostei da ausência de serviços que temos facilmente à disposição no Brasil, e os horários do comércio e serviços são muito mais restritos do que no Brasil.


Flavia: O que eu mais gostei em Pescia é que ficamos próximo do centro e o que eu menos gostei é que não é uma cidade muito agitada, com muita coisa para se fazer.


Rafael: Gostei muito de Pescia, o ponto negativo é que a casa só é um pouco longe da estação de trem, na minha opinião.


4. Quais são os pontos turísticos mais atrativos, segundo a sua opinião?


Marina: Em Pescia seria o "Mosteiro" que tem na montanha perto dos Carabinieri, o Borboletário e o Parque do Pinóquio. Já considerando as cidades próximas, eu aconselho visitar Florença, San Giminiano e Lucca.


Eduardo: Cinque Terre, Lucca, Pisa, Firenze.


Flavia: Optamos por conhecer mais coisas fora de Pescia, em cidades próximas ou até mais distantes durante o final de semana, mas em Pescia tem a igreja que é uma graça e a própria paisagem do rio que corta a cidade é bem bonito.


Rafael: Florença, Pisa e Cinque Terre.


5. Que lugares (bares, restaurantes, mercados, etc) você recomendaria na cidade e nos seus arredores, para que outras pessoas visitem?


Marina: Recomendo os aperitivos* que tem no centro da cidade, mas não fui em restaurantes na cidade. Os três mercados são muito bons e possuem características diferentes, o Lidl tem os melhores preços, o mercado perto da estação possui mais variedade de produtos e o Coop possui hortifruti e melhor qualidade e preços parecidos com o Lidl.


Flavia: Supermercado sem dúvida o Lidl. As sorveterias da cidade, são todas uma delícia também.


Rafael: Há ótimas opções em Pescia. Eu gostei de um restaurante que acho que se chama Pucci, e a sorveteria no quiosque do lado do rio também é muito boa. A pizzaria em frente à joalheria, acho que é Swarovski, na esquina, também é muito boa.


*Leia o nosso post Facciamo un Aperitivo, o famoso Happy Hour italiano


6. O que você gostaria de ter sabido antes de vir para a Itália?


Marina: Gostaria de ter tido mais preparo para o momento da Imigração, pois como não falo italiano, a comunicação foi difícil e eles demoraram para me liberar.


Eduardo: Sobre a taxa absurda que as casas de câmbio cobram. Na minha experiência, fui cobrado 20% do valor da transação.


Flavia: Que falar o idioma faria total diferença.  Não conseguir se comunicar e com pouquíssimas pessoas que falam inglês, a experiencia foi bem desafiadora em determinados momentos.


7. Qual é a dica mais preciosa que você tem para oferecer para outras pessoas?


Marina: Comer na Itália é barato, lembre-se sempre carimbar (ou em italiano, convalidare) o bilhete do trem antes de ir para a plataforma e usar o aplicativo Trenit (ou o próprio app da Trenitalia) para viajar de trem pelo país. Se for uma viagem mais longa, comprar com antecedência de uns dois dias para não perder os trens mais baratos.


Eduardo: Não tenha a ilusão que o vigile passará rápido*.


Flavia: Estude o idioma, pelo menos o básico.


Rafael: Aproveitar a Itália, é um país adorável!


* Lembramos que a Casanuova sempre deixa claro os prazos estabelecidos por lei


8. O que ficou faltando nesta experiência aqui na Itália?


Marina: Saber falar melhor a língua!


Eduardo: Talvez mais dicas do que fazer e atividades para o tempo livre.


Rafael: Tempo para conhecer cidades mais distantes (por exemplo, Roma e Veneza).


9. Por último, nos fale um pouco sobre os custos da sua experiência em Pescia.(transporte público, alimentação, lazer, etc)


Marina: Os restaurantes são em média €10 euros o prato, o aperitivo é €4 ou €5 o drink, dependendo do local. Já em termos de transporte, o ônibus varia entre €1,50 e €3, dependendo da distância (na maioria dos casos ele pode ser comprado dentro do ônibus, mas é mais barato comprar nas Tabacarias ao redor da cidade) e o trem varia bastante o preço dependendo da cidade que a pessoa vai, mas é barato em comparação com outros países da Europa. Compras no supermercado também são bem em conta (verduras e caixinha de frutas são por volta de €1 cada, os pães do mercado saem de manhã e no final da tarde e variam entre alguns centavos de euro a €1,50. Para os apaixonados por vinhos, é possível encontrar garrafas por volta de €2 a €3 euros, dependendo do mercado.


Eduardo: Achei o transporte bem caro, foi de longe o que mais consumiu meus euros. A alimentação é ok, mas não encontrei formas de lazer em Pescia que eu goste, como parques, bar com música e esportes, por exemplo. Em geral, os custos são ok.. algumas coisas caras, outras baratas.


Flavia: Achei o custo alto, mas porque a nossa moeda está desvalorizada.  Optamos sempre em buscar os itens com desconto no supermercado para comermos de forma saudável pelo menos na maior parte do tempo.  


Rafael: A Itália não é um país tão caro, achei os custos em Pescia relativamente acessíveis.

0 visualização

Casanuova Cidadania Italiana - Todos os direitos reservados